For the Lastest News Sign up mobilsocial

Felipe Neto aponta filtros contra fake news, mas diz que WhatsApp …

Felipe Neto

Felipe Neto aponta filtros contra fake news, mas diz que WhatsApp …

O empresário e youtuber Felipe Neto, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, afirmou hoje que embora as redes sociais tenham adotado filtros …

Roda Viva: Felipe Neto aponta filtros contra fake news, mas diz que WhatsApp é 'arma' PUBLICIDADE Outros canais UOL Produtos Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL Programas em vídeo Outros canais UOL Outros canais UOL Mais Esporte Times Programas em vídeo Assine e veja ao vivo Outros canais UOL Programas em vídeo Assine Outros canais UOL Blogs e colunas Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL Parceiros Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL Outros canais UOL

O canal sobre tecnologia do UOL

De Tilt, em São Paulo

18/05/2020 22h56

O empresário e youtuber Felipe Neto, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, afirmou hoje que embora as redes sociais tenham adotado filtros para tentar reduzir a programação de notícias falsas, será difícil lidar com o conteúdo propagado via .

“As redes sociais estão tentando ao máximo coibir a divulgação de desinformação, mas existe um problema, e esse problema é o que as pessoas estão se perguntando: como corrigir? Esse problema talvez seja impossível de corrigir, ele se chama WhatsApp. A gente pode falar sobre filtros de fake news em Instagram, , Twitter, porque são redes públicas, você coloca algo e está à mercê de regras. E o WhatsApp? Até onde vai a possibilidade de uma empresa observar sua conversa, de saber o que você está disponibilizando para outras pessoas?”, questionou.

Relacionadas

É possível combater os robôs do WhatsApp, mas e o boca-boca que compartilha essas fake news aos milhões?Felipe Neto

Felipe Neto também fez menção ao uso do aplicativo de mensagens pelo chamado “gabinete do ódio”, atribuído a ala de apoiadores do presidente (sem partido) no Congresso Nacional. O grupo, , é acusado de disparar mensagens falsas sobre opositores desde o período das eleições.

“Esse é o maior recurso usado pelo gabinete do ódio. A gente pensa que são os robôs do Twitter, que é o Facebook, mas não. A arma mais utilizada é o WhatsApp. É onde menos se tem monitoramento. Dentro das redes sociais o caminho está progredindo, estão trabalhando para melhorar cada vez mais, o exemplo é um post do presidente ser apagado e informado que ele está publicando fake news. Já no WhatsApp é uma pergunta muito difícil de ser respondida”, declarou.

CPMI das Fake News

Felipe Neto disse, quando questionado se acha que a CPMI das Fake News chegará ao governo Bolsonaro, que este é “o grande pânico da família Bolsonaro nesse momento”.

“Espero do fundo do coração que tanto a Polícia Federal quanto a CPMI consigam trazer resultados, porque o que acontece dentro do gabinete do ódio e todo esse esquema criado para manipulações das informações que chegam ao público é um crime muito grave, com consequências trágicas para todo mundo.”

‘Valorizem a imprensa’

Questionado se dá ouvidos a alguém em específico para nortear suas opiniões, o influenciador afirmou estar sempre atento ao que é divulgado na mídia. Ele fez um apelo ao público para que valorize o papel da imprensa e diz ser “trágico” ter de fazer tal pedido.

“O que me pauta são coisas que leio, os veículos tradicionais e principalmente a imprensa, a gente tem que valorizar muito o trabalho da imprensa. A gente vive um momento que é inacreditável ser necessário dizer para as pessoas: valorizem a imprensa. É trágico, não deveria ser uma frase que se fala, deveria ser algo que todo mundo sabe. Só a imprensa pode continuar deixando a democracia existir e crescer. Não só valorize como, se tiver condição, assine a imprensa, porque a imprensa precisa de assinatura também”, declarou o youtuber.

Felipe também observou que é difícil acompanhar todos os comentários do público geral não só pelo volume de menções em redes sociais, incluindo ofensas, como pela falta de tempo.

“É muito difícil acompanhar o feedback do público pelo volume de menções. Costumo ver as de contas verificadas porque consigo fazer um filtro maior. Se abro as menções normais não consigo ler a tempo, além de ter muito hater, Você acaba sugando isso no seu dia a dia e não faz tão bem”, afirmou ele.

Alvo de ataques

Felipe afirmou ser difícil apontar se o gabinete do ódio foi responsável ou não pela eleição de Jair Bolsonaro em 2018, mas ele mencionou o fato de ter sido alvo de ataques virtuais e ameaças — o teor foi o suficiente para que ele decidisse retirar a mãe do país, por segurança.

“Não sei, mas é difícil imaginar um cenário onde não tenha. A gente, infelizmente, está na polícia, estão até hoje com o caso, mas é difícil chegar a raiz do problema. Eu recebi ameaças de morte, minha mãe recebeu por minha causa, dá para imaginar como me senti nisso, tive que tirar minha mãe do Brasil e é realmente inacreditável. Quando falo em não ter tolerância com os intolerantes, que seria o paradoxo da tolerância, é algo que acredito muito”, disse.

“A gente não pode simplesmente olhar tudo o que está acontecendo, toda violência, opressão, tentativa de silenciar a imprensa, de calar a democracia, de tomar o poder para si, a gente não pode olhar para isso e ser tolerante, falar ‘é um lado’. A gente não pode validar esse tipo de lado, não pode ter esse tipo de lado falando como se fosse algo normal, algo que acontece”, relatou o empresário.

As mais lidas agora PUBLICIDADE ver mais PUBLICIDADE

Join mobilsocial social network mobilsocial This article source is Entrelivros Article is Felipe Neto aponta filtros contra fake news, mas diz que WhatsApp …

USA latest News | Canada latest News | Australia latest News

Social Network

accident attorney miami